Blogueiros elegem o melhor das Américas

Nesta segunda-feira, os blogueiros se reuniram na Portal dos Vinhos, no Morumbi para eleger o melhor das Américas. Em uma degustação promovida pela confraria2panas, provamos 6 rótulos de diferentes países do novo continente. Sem nenhuma pretensão de ter uma verdade única, apenas de provar ótimos vinhos na companhia de quem gosta e entende do assunto. Afinal muitos rótulos bastante conhecidos e de excelente qualidade ficaram de fora, também seria praticamente impossível provar todos em um mesmo dia e em tão pouco tempo. Selecionamos alguns vinhos que tínhamos na adega da safra 2005 e resolvemos comparar. Para tentarmos ser o mais justo possível, não decantamos nenhum vinho e fizemos às cegas. Tivemos grandes surpresas, vejam:



6º Lugar – Don Melchor 2005
Este representante chileno, em mais uma degustação com pouco mais de 1 semana deixou a desejar. Na última foi a safra 2001, agora a 2005. No nariz traz uma fruta madura, mas na boca nem tanto. Traz fruta vermelha e herbácea no nariz. Na boca corpo médio, ácido e com um fundo doce. Um vinho pelo qual esperávamos uma grande performance, mas desta vez deixou a desejar. É um vinho adorável por muitos, mas será que o preço é justo?
ES 83



5º Lugar – VF Villa Francioni 2005
O primeiro brasileiro servido na noite, esteve um pouco apagado. Com notas de frutas vermelhas no nariz. Já na boca não se percebe esta fruta, faltou harmonia entre acidez e tanino.
ES 85



4º Lugar – Afincado Malbec 2005
O único representante argentino da noite, não conseguiu mostrar a potência do seu terroir. O vinho se mostrou com uma acidez elevada e uma presença química no nariz e na boca.
ES 82



Apenas lembrando, todos estes vinhos foram provados às cegas e cada participante votou no melhor pelo seu gosto pessoal.
Agora vamos ao podium:




3º Lugar – Don Maximiniano 2005
Este podemos dizer ser um grande representante chileno. No nariz não agrada muito, apesar de trazer certa complexidade. Aromas com bolor e defumado estão presentes. Um toque de fruta vermelha madura também. Na boca é macio, elegante e potente. Traz uma nota pouco herbácea que não compromete o vinho.
ES 90



2º Lugar – Storia 2005
O segundo brasileiro representante da noite fez bonito. Com notas de café, especiarias, frutas e animal, se mostrou mais uma vez vinho complexo no nariz. Na boca se mostra potente, novo, elegante e com um certo herbáceo que não compromete. Um vinho que surpreendeu a todos não pela sua qualidade que já é conhecida, mas por conseguir a posição de segundo lugar no meio de tantos vinhos renomados. Sinceramente este resultado nos deixou feliz, pois temos um vinho nacional que faz frente aos Tops das Américas. No final da degustação até surgiu um debate, será que o Storia é um vinho caro? Alguns defenderam que o vinho nacional deve ser barato, outros que pela qualidade que o vinho demonstrou tem um preço equivalente a sua qualidade se comparado aos provamos. Para se ter uma idéia o campeão da noite, custa mais de mil reais. Fica aqui uma questão:
Quanto você pagaria por um vinho nacional com esta qualidade?
ES 90



1º Lugar – Opus One 2005
O único representante da terra do Tio Sam, foi o grande campeão da noite. Produzido em uma parceria entre Robert Mondavi e Baron Philippe de Rothschild, este vinho e’ uma grande lenda. Infelizmente não tem um valor muito acessível, o que torna esta lenda ainda maior. Este é o segundo Opus One 2005 que a Confraria2panas abre e sempre se mostra surpreendente. Na primeira vez, deixamos decantar e chegamos ate a fazer uma brincadeira Provamos o Opus One 2005! Vale 100 pontos? RP e WS bem que poderiam dar uma pontuação melhor…”.
http://confraria2panas.org/2010/11/26/provamos-o-opus-one-2005-vale-100-pontos-rp-e-ws-bem-que-poderiam-dar-uma-pontuacao-melhor/
Sim, ficamos muito impressionados com o vinho. Desta vez ele foi posto a prova em uma degustação as cegas. Não fez feio, aliás mostrou para que veio. No início mostrou-se fechado. Com um pouco de movimento na taça ele foi se revelando aos poucos trouxe notas de flores vermelhas. Ainda revelou-se um vinho untuoso. Na boca muito macio, equilibrado, bom corpo, acidez, elegante, potente, mas faltou um pouco de persistência.
ES 92



Bom esta foi a nossa degustação do Melhor das Américas. Gostaríamos de agradecer aos amigos que participaram desta degustação: Alexandre Frias (Enoblogs/Diário de Baco), Beto Duarte (Papo de Vinho), Cristiano Orlandi (Vivendo Vinhos), Daniel Perches (vinhos de corte), Deco (Enodeco), Evandro Silva/Francisco Stredel (Confraria2panas), Emilio/Fátima Santoro (Portal dos Vinhos) e João Filipe (Falando de Vinhos/Vino & Sapore).

tin-tin

Edição: Evandro Silva / Francisco Stredel

6 comentários sobre “Blogueiros elegem o melhor das Américas

  1. Don Melchor (ou “Don Peor”), um vinho de madeira mal resolvida. Parece uma madeireira clandestina do Pará. É um vinho que praticamente “se come”, de tanta concentração. Parece uma marmelada. Falando em marmelada, é uma ode a Paracelso: 90% de adega (ou “laboratório alquímico”) e 10% de parreira.

    Esse vinho, que já foi considerado o 4º do mundo, pela Wine-Casacateitor, é simplesmente imbebível. Um vinho “aguardêntico” (14.5°), com sua “floresta amazônica”, enjoa até o menos enjoado.

    Um Cabernet Sauvignon caro, totalmente dispensável e produzido para aliviar carteiras. É necessário muito contorcionismo gustativo e… (deixa pra lá) pra dizer que o Don Melchor é um grande vinho

    Curtir

  2. Confrades,
    De Gustibus Non Disputandum Est, creio muito nisso! Don Melchor, estranho não figurar entre os 3. Opus One, é incrível mesmo. Don Maximiano com aroma de bolor? Não seria TCA-Tri Cloro Anisol, o famoso Bouchon incomodando?
    A Storia se repete:sempre bom
    PARARABÉNS à todos
    Obs. Como única menina presente, não posso deixar de dizer que ainda bem, na foto, ela aparece na primeira fila, e linda, diga-se de passagem….Emilio, cara de sorte!
    Fiquei aborrecido de não poder estar com vocês, mas o Winexperts me chamava com 18Tempranillos de todo o mundo.
    Abraços de luz

    Curtir

  3. Evandro, parabéns pela bela experiência! Quanto aos vinhos, ás cegas não tem argumento. Já provei o Storia e acho bem legal. Vendo sua descrição dos vinhos, concordo com o comentário de Alvaro…Bouchonée falando alto, tanto no Don Maximiniano quanto no Afincado, bolor e quimica….

    Abs e saúde

    Curtir

  4. Nobres,

    Parabéns pela degustação. Aproveito para declinar minha opinião sobre a classificação. Acredito na qualidade do Storia/2005, com certeza mereceu o segundo lugar. Já o degustei e a impressão foi muito boa, mas comparar o nosso Merlot com Opus One, com tempo de barril e com um corte destes, é covardia. Abraço.

    Curtir

    1. Caro Hiram,
      Obrigado por expressar sua opinião. Neste caso a motivação da nossa Confraria e Blog de patrocinar estas degustações às cegas e com audiência conhecedora da área é de quebrar ou fortalecer paradigmas. Neste caso, grandes vinhos sul-americanos com excelentes pontuações ficaram bem além das expectativas dos participantes. É um fato que se repete com freqüência e que já nos parece um “golpe” de marketing, por outro lado, aumentamos o mito que envolve o Opus One. Enfim, vale destacar que vários participantes deixaram o Storia como primeira opção, o que não nos surpreende porque já fizemos outras experiências do tipo com as mesmas surpresas. Abraço,
      Confraria2panas

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s