Vinho e Saúde (por Fátima Santoro)

Beber vinho faz mal à saúde? Depende. Se você beber moderadamente, um cálice de vinho por dia acompanhando as refeições, não só não faz mal como é recomendável. Agora, se você for beber até cair meu amigo, vai fazer muito mal sim, seja lá qual for a bebida alcoólica.
Há quase vinte anos atrás, um programa americano de jornalismo apresentou uma reportagem chamada Paradoxo Francês. Falava sobre a incrível dieta dos franceses que é recheada de gorduras, como fois gras, queijos dos mais diversos tipos, etc. e o índice minúsculo de doenças cardiovasculares em relação ao povo americano que possuía uma taxa enorme. Após analisarem os diferentes hábitos alimentares, eles chegaram à conclusão de que a quantidade per capta de consumo de vinho na França era muitíssimo maior do que nos Estados Unidos e que este era o fator que equilibrava a dieta gordurosa dos franceses e minimizava o número de acidentes cardiovasculares, contrariamente do que acontecia com os americanos. Após este documentário, onde os cientistas afirmavam que o vinho é que fazia bem aos franceses, o consumo nos Estados Unidos aumentou tanto que o que se produz lá não atende ao consumo interno, eles aprenderam a beber vinho e hoje já faz parte da vida deles uma boa taça de vinho.
Em outra pesquisa internacional, os cientistas estudavam as células humanas que oxidavam nos deixando mais velhos. Eles descobriram que existe um gene (Sirtuin) que fica normalmente inativo em nosso organismo porque não é estimulado e então, o estudo da pesquisa se virou para a busca pelo que estimularia aquele gene que nos manteria jovens por mais tempo, e a descoberta foi de uma substância chamada Resveratrol. O próximo passo foi descobrir onde se encontrava tal substância para que se pudesse extrair e usar em benefício da juventude e a grande surpresa foi que, o lugar com maior concentração de Resveratrol encontrado na época, era na casca das uvas tintas. Isso mesmo, o vinho possui essa substância anti-oxidante. O Resveratrol é extraído da uva, principalmente pela ação do álcool, no processo de vinificação. Em suas funções ele produz uma ação anticancerígena, “lubrifica” as artérias transformando-se numa barreira à formação de placas de gorduras (aterosclerose) e combate o mau colesterol, além de neutralizar os radicais livres com sua ação anti-oxidante.
O Resveratrol está presente nos vinhos, mas em quantidades bem variadas, pois sua produção é estimulada com a ameaça de ataques de fungos ou bactérias. No Brasil, a colheita dos vinhos é feita em uma altura de risco destes ataques, pois é quente e úmido e por conseqüência, os nossos vinhos (isso mesmo, os vinhos nacionais!!!), possuem alto teor desta substância, principalmente os das regiões serranas.
Há pouco tempo atrás, uma comunidade científica internacional divulgou que beber álcool em excesso pode até causar câncer. Mas tudo em excesso é prejudicial. Se fizermos uma média de teor alcoólico entre bebidas destiladas e vinhos, chegamos numa conta aí de perto de 40% / litro para os destilados e perto de 12% / litro para os vinhos. Uma pessoa que só bebe destilados, ao ingerir 100 litros, terá bebido também cerca de 40 litros de álcool enquanto que para atingir esta marca bebendo vinho, seria necessário beber mais de 330 litros de vinho, ou seja, mais do triplo da quantidade do destilado. Neste caso, além de estar tomando uma bebida bem mais saudável, teria os benefícios das substâncias encontradas no vinho e diminuiria muito o volume de álcool presente na corrente sanguínea. Não estou pregando para que ninguém abandone a sua cachaça, apenas informando que beber vinhos é mais saudável.
Você já viu algum médico dizer ao cliente dele para beber whisky ou cachaça porque faz bem para a saúde? Provavelmente não, mas recomendar meia taça de vinho por dia talvez até já tenha recebido esta recomendação. Eu conheço vários médicos e a maioria esmagadora adora vinho e recomenda aos seus pacientes, e eles são das mais diversas especialidades. Uma vez numa consulta, eu e meu marido estávamos passando juntos com um médico para um check-up quando o médico perguntou a profissão e dissemos que trabalhávamos com vinhos, pronto… a consulta acabou ali, pois ele não falou de outra coisa! Bom, mudamos de médico…

Beba com moderação e saúde!

Fátima Santoro.

Matéria publicada no jornal Bairro News Morumbi

tin-tin

Edição: Evandro Silva / Francisco Stredel

2 comentários sobre “Vinho e Saúde (por Fátima Santoro)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s