Philippe de Rothschild o Steve Jobs do vinho!

Baron Philippe de Rothschild (13 de abril de 1902 – 20 de Janeiro de 1988) foi um membro da dinastia de banqueiros Rothschild que se tornou um piloto de carros Grand Prix, roteirista e dramaturgo, produtor teatral, produtor de cinema, poeta e um dos os mais bem sucedido produtor de vinho do mundo.

Apesar do tempo gasto em tantas atividades ele dedicou suas energias e inovação no Château Mouton Rothschild, famosa vinícola da região de Médoc, França, localizado na comuna de Pauillac. Produz um dos mais prestigiados vinhos de Bordeaux. O Château Mouton Rothschild é um “Premier Grand Cru Classé” que de acordo com a classificação oficial dos vinhos de Bordeaux 1855. Compartilha essa rara distinção com o Château Margaux, Château Latour, Château Lafite Rothschild e Château Haut-Brion.

O Baron assumiu as operações do Château Mouton Rothschild quando tinha 20 anos de idade, apos dois anos em 1924, veio com a inédita idéia de engarrafamento da safra inteira no Château, uma idéia que seria copiada por outros produtores de Premier Cru. Anteriormente, os vinhos eram vendidos a granel, deixando a maturação, engarrafamento, rotulagem e marketing para ser tratado pelos comerciantes de vinho. A idéia de Philippe de Rothschild era manter o controle sobre a qualidade do seu produto e permitir a comercialização da marca. Dois anos mais tarde, ele desenvolveu um arranjo de facto de fixação de preços, entre outros produtores top de Bordeaux.

Outra ideia do Baron foi não comercializar ou rotular vinhos de safras que não fozem consideradas de alto padrão con o nome “Château”. Então ele começou a vender esse vintage de segunda linha com nome de “Mouton Cadet”. Que hoje é simplesmente o vinho tinto lider de vendas no mundo.

O Mouton Rothschild é particularmente famoso por duas razões (além da excelência dos seus vinhos). Desde 1945, o rótulo é diferente em cada ano, muitas vezes ilustrado por artistas famosos como Marc Chagall, Miró, Picasso, etc. A safra do Mouton Rothschild de 1945 passou a ser, em 28 de setembro de 2006, o vinho mais valioso do mundo em um leilão organizado pela Christie’s, em Beverly Hills. Um lote de 12 garrafas chegou a 290,000. 00 USD e um lote de 6 garrafas magnuns foi vendido por 345,000.00 USD.

Como podem ver o Baron foi um grande revolucionário que a base de ideias inovadoras modificou o mundo do vinho que conhecemos hoje.

tin-tin

Logo: Evandro Silva

Edição: Evandro Silva / Francisco Stredel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s