Abrindo a Adega

Caro leitor é com imensa satisfação que escrevemos este post. Há tempos tentamos marcar um encontro para la de especial, mas entre um compromisso e outro nunca deu certo, por fim é chegada à hora. Depois de alguns meses conseguimos nos encontrar nesta sexta-feira 04/06 no apartamento do Fernando Gattaz, nosso amigo e proprietário da Octagon Motors que gentilmente abriu a sua casa para a confraria dos panas. Fomos recebidos pela ótima companhia do sogro do Fernando, o Sr. Luiz figura muito simpática e boa de papo. De cara fomos impressionados por uma bela mesa com queijos e frios na sacada. Os convidados da Confraria Emilio, Evandro, Francisco e Tiba. Fomos chegando e já invadindo a adega, muito bem feita por sinal. Divisórias em madeira e na parede lateral algumas tampas incrustadas de caixas de vinhos, que foram entalhadas no revestimento de Madeira de Demolição e envelhecidas artificialmente com banhos de verniz. Dentre as tampas dos vinhos, uma muito importante é a Quinta do Castro. Os casileiros foram feitos em Frejó com possível desencaixe para limpeza e 285 espaços.

Uma adega digna de uma inveja no bom sentido da palavra. Muito cuidadosa nos detalhes. Nela há uma coleção de vodkas, runs e outra paixão do Fernando… Charutos. Fica ao lado de uma sala de vídeo espetacular! Com um telão de umas 120 polegadas… Como disse Dom Tiburcio… “Viveria aqui facilmente” rsrsrs. A adega foi desenhada pelo Fernando com alguns palpites do Emilio, a arte final foi claro de uma mão feminina, a sua esposa Cristina. O sistema de refrigeração, que mantém a adega entre 18C e 19C, foi obra do nosso amigo José Roberto da Confraria de Embu. Ficamos todos na adega olhando sua coleção de vinhos, ele como bom enófilo nos contou a historia de cada um. Essa e a parte bonita do mundo do vinho… Poder compartilhar com os amigos a história que trouxe cada garrafa até você. Não podemos esquecer que ele tem um Vega Sicília 1994, presente do amigo Hugo. Aliás, este foi para a Big Apple e perdeu o encontro…

Começamos a degustação, como diz o nosso amigo João Filipe “Limpando a serpentina” com uma Champagne Laurent Perrier. Surpreendeu bem, carnuda na boca, com boa perlagem, mais para o fermento que frutada. Muito boa champagne. O segundo vinho da noite, já estava decantando desde as 18h10 um Ognissole Primitivo di Manduria 2006. Aliás, um detalhe ao decanter, com uma cava no meio e um recipiente com gelo que se encaixa perfeitamente. Com isso, mantém o vinho sempre na temperatura ideal. O capricho não para por ai… Até marcação à lápis branco com o nome do vinho e horário que foi para o decanter. Um show em apresentação. Ao mesmo tempo colocamos o segundo vinho da noite nas taças, o Storia 2005. E para “finalizar” colocamos no decanter o Pomar Reserva 2006, um corte 60% Petit Verdot, 23% Syrah e o restante Tempranillo. Cada um estava com 3 taças na mesa, degustando e vendo as diferenças de todos os vinhos. O Ognissole Primitivo se mostrou um vinho leve e fácil de beber. Com toques de especiarias e fruta seca, agradou ao paladar de todos. O Pomar Reserva com notas mais para o couro, defumado, uma barrica expressiva na boca. É um vinho que merece decanter e que melhora na taça com o passar do tempo. Já o nosso representante brasileiro, o Storia 2005 é como diz o nome, é sempre uma história. A cada garrafa que se abre, é outro vinho. Claro, não foge das suas características no nariz, mais para o café, chocolate e frutas vermelhas. Na boca um vinho carnudo, potente e bem equilibrado. Um verdadeiro ícone nacional. Nem é preciso dizer, o melhor vinho da noite.

Agora realmente por fim, fomos “mimados” novamente e pudemos degustar um excelente Penne ao Pesto, elaborado pela Cristina, uma cozinheira de mãos cheias. Desde o Brie com geléia de pimenta, a Provoleta, tudo divino e de muito bom gosto. Como já havíamos bebido praticamente tudo, abrimos o Italiano La Braccesca 2004, vino nobile di Montepulciano para acompanhar a massa. Olha que não é que o casamento foi perfeito! A massa e o Pesto realçavam o sabor, mas não comprometiam. Lembramos que o prato ainda era composto por uns tomates cerejas que davam um toque adocicado. O vinho mais para o frutado, com toques leves de especiarias, estava de cair de joelhos.

Acreditem, por fim ainda levamos a cabo uma idéia estamos fermentando à algum tempo, fazer o blog mais interativo.
Mas o que seria isso?
Colocar vídeos no blog de nossas degustações e vinhos que provamos.
Uma maneira de trazer a vocês, a emoção do momento. É uma idéia que estamos testando…



Gostaria mos muito de agradecer o Fernando e toda a sua família por nos receber tão bem em seu lar!

Um muito obrigado da Confraria2panas!

tin-tin
Edição: Evandro Silva / Francisco Stredel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.