Espanha – Diário de Bordo 6º dia, Hotel, Spa, Enoturismo e muito mais! (por Evandro Silva)

É com muita dor no coração que deixei a Rioja, mas a viagem tem que seguir…

Saimos de Logroño, Capital da Rioja e fomos com destino a Cuenca, mas ao Sul. Percorremos praticamente 5 horas para chegar. Serras e paisagens muito bonitas acompanharam o percusso, claro também nos perdemos e isso faz parte. Mas é bom se atentar a um pequeno detalhe. Cuenca é uma Província e nela esta Tarancón, se quiser que visitar a Bodega Finca La Estacada vá a Tarancón.
Bem, como já mencionei onde iriamos, então vou começar a contar sobre nossa visita à Finca la Estacada. Situada no Km 103 da Carretera Nacional 400 a Finca la Estacada é mais que uma Bodega, é todo um complexo enoturistico e de lazer. O hospede pode visitar a Vinicola, fazer sua programação de SPA e acreditem passear entre os vinhedos que se encontram ao fundo do hotel. Sem vem a Espanha, vale a pena conhecer aqui!


Piscina e os vinhedos ao fundo

Fomos recebidos por Felipe Cantarero, um dos proprietários da Bodega. Eles nos mostrou todo o processo de vinificação, as maquinas e um dos processos interessantes que Felipe nos contou foi como o vinho sai da barrica e chega a garrafa. É bem curioso. Na sua Bodega ele passa da barrica de carvalho para uma de inox, neste momento o tonel de inox vai recebendo várias barricas até encher. Numa segunda fase os vinhos vão para outros tóneis onde descansarão por 24 a 48 horas. Após este processo vai para o engarrafamento. Neste processo ele evita filtrar mecanicamente o vinho. Ou seja, ele nos explicou todo o manuseio até que este liquido dos Deuses chegue até a garrafa.


Ao fundo barrica carvalho, 1º tonel o menor e o 2º tonel o maior ao fundo.

Depois fomos fazer uma degustação dos seus vinhos. Provamos do branco a toda linha Finca la Estacada, entre eles o 6 meses, 12 meses e o 18 meses. Depois partimos para os vinhos mais exclusivos como o La Estacada 2006 que é um corte de Syrah/Merlot. Originalmente na primeira safra em 2003 era somente Syrah, mas como não havia uvas suficientes adicionou-se a Merlot. E não é que o público gostou! Partimos então para o vinho top da bodega o Secua. Este vinho é simplesmente espetacular, merece decantar antes e com certeza tem uma boa guarda.


Barricas com os nomes de seus proprietários, ou seja, tenha a sua própria barrica.

Felipe Cantarero também nos contou que seus vinhos Top´s agora utilizam barricas de 5 anos de uso, como antes não havia por a Bodega ser nova agora os usa com frequência. A grande vantagem esta no aporte de madeira ao vinho, como são barricas mais velhas terão menos aporte a madeira o que torna o vinho mais elegante.

Realmente foi uma conversa bem interessante com Felipe Cantarero, falamos sobre mercado internacional onde nos contou que seus vinhos são exportados para Ásia, Europa, America do Norte, Brasil, Colombia e num futuro próximo Venezuela. Mais alguns meses os Venezuelanos iram conhecer a qualidade dos vinhos da Finca la Estacada. Tivemos também uma informação até o momento nova para nós e acredito que para o público brasileiro, a criação de uma DO (Denominação de Origem) Uclés. Os vinhos da bodega que já tem safra posterior a DO Uclés já levam isso no rótulo. Aliás outro dado importante, hoje a DO Uclés tem por volta de 5 bodegas.


Felipe Cantarero e eu

Bem amigos por hoje é só!

Amanhã, destino Sevilla…

Até o próximo post!

tin-tin
Edição: Evandro Silva / Francisco Stredel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s