Você realmente já amou uma mulher?

Entre os vinhedos centenários pré-filoxera de Tempranillo e Garnacha, vivia uma camponesa chamada Inês.
Ela trabalhava nos vinhedos colhendo desde os 14 anos de idade.
Sua família vivia do cultivo da uva e produzia seu próprio vinho que era vendido somente na região.
Inês vivia em Logroño, região da belíssima Rioja e de um dos melhores vinhos do mundo!
Desde pequena Inês sempre foi muito moleca, como trabalhava no campo não tinha muitas frescuras. Até jogava futebol com os irmãos.
Nunca foi muito namoradeira, os rapazes tinham um certo medo dela.


O tempo passou, Inês cresceu e Juan ela conheceu.
Juan, um jovem conquistador que vivia em Sevilla e estava em Logroño para assistir a um festival de música.
Como de costume não estava ali só pela música, mas para conhecer novas garotas e aumentar seu ego.
Ele tinha nome por nome de cada mulher que conquistou na vida, sua agenda era valiosa.
Ao conhecer Inês, Juan pensa em mais um nome para sua lista, mas mal sabia ele que poderia ser a última.


Tudo começou quando no meio de uma multidão, ele encontra o brilho no olhar que jamais havia encontrado, era Inês.
Pela primeira vez suas pernas tremeram e Juan tentou se distanciar.
Inês correu e foi ao seu encontro, parou de frente a Juan e lhe perguntou como se chamava e de onde era.
Juan engasgou, mas disse a verdade.
Por um momento Juan havia fraquejado, mas resolveu respirar fundo e partir para conquista.
Os dois passaram o resto do dia juntos, mas Inês não queria ceder as tentativas de Juan.
Combinaram de se encontrar no dia seguinte para um jantar no Hotel onde ele estava hospedado.


Era noite e Inês é a primeira a chegar. Juan, só a observa de longe e pede ao garçom que sirva uma Cava e diga que é cortesia da casa.
A cada gole daquele espumante ela olha para os lados, observa e tentar encontrar um sinal de Juan.
Finalmente ele chega, pede licença, dá um boa noite beijando a mão de Inês e senta a sua frente.
Juan pede uma garrafa de um Rioja Gran Reserva 1994, uma grande safra da região.
Inês se encanta com o vinho e com Juan também. Eles conversam durante algumas horas, até que Juan a convida para subir.
Tímida, mas embriagada não pelo vinho, mas pelas palavras e elogios de Juan.
No quarto apenas uma luz de fundo que vinha do lado de fora. Inês se despe vagarosamente enquanto Juan lhe diz palavras de carinho ao pé do ouvido.
Por um momento Juan se fasta, Inês se assusta e tenta se cobrir. Juan pede para que ela fique como está, ele apenas quer admirar cada curva do corpo de Inês que mais parecem um raro violino Stradivarius.
Juan volta, se aproxima e se vê refletido nos olhos da linda Inês. Ele acaricia seu rosto de finos traços e beija a boca mais bela que havia conhecido.
Já Inês se enlouquece com o cheiro de Juan, com sua boca e mãos.
Juan acaricia aquela pele aveludada, como a parte interna de uma folha de Tempranillo.
O quarto é uma mistura de cheiros entre um tinto da Rioja, muito desejo e sexo…


Na manhã Juan acorda e tem Inês repousando em seus braços.
Ele pega sua agenda, uma caneta e começa a escrever o nome de Inês.
Juan respira fundo, lembra do olhar de Inês, que de tão profundo conseguiu ver seus filhos que ainda não nasceram.
Inês dorme profundamente, ele a olha mais uma vez e risca o nome dela da agenda…



Texto, Foto e Edição: Evandro Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s